O príncipe Philip morreu esta sexta-feira aos 99 anos. Era conhecido pelo seu sentido de humor, muitas vezes incompreendido, e também por algumas gafes que foi dando durante os 73 anos em que serviu a monarquia.

Eis algumas das suas maiores gafes em eventos públicos.

"As mulheres britânicas não conseguem cozinhar", disse o duque de Edimburgo em 1961, num evento do Instituto das Mulheres Escocesas.

"Parece o tipo de coisa que a minha filha faria nas aulas de arte da escola", comentou o príncipe em 1965, enquanto via peças de arte tradicionais na Etiópia.

"Os gatos matam mais pássaro do que os homens. Porque não criamos o slogan: 'Mate um gato e salve um pássaro?", perguntou o príncipe em 1965.

Em 1967, quando lhe perguntaram se gostaria de visitar a União Soviética, respondeu: “Gostaria muito de ir para à Rússia, apesar de terem assassinado a metade da minha família”.

Dois anos depois, ao falar das finanças da realeza, disse: “Vamos entrar no vermelho no próximo ano, provavelmente terei de renunciar ao polo”

Em 1981, durante a recessão, refletiu: “Toda a gente dizia que devemos ter mais tempo livre. Agora queixam-se de estar desempregados”.

"És uma mulher, não és?", perguntou o duque no Quénia a uma mulher que lhe oferecia um presente, em 1984.

"Se ficarem aqui muito mais tempo vão ficar todos com os olhos em bico", disse o príncipe em 1986 a um grupo de jovens britânicos que estudava em Xian, na China.

"Se tem quatro pernas e não é uma cadeira, se tem duas asas e voa mas não é uma aeronave e se nada mas não é um submarino, os cantoneses [chineses] vão comê-lo", disse o duque em 1986 num encontro do Fundo Mundial para a Natureza.

"Parece que está pronto para ir para a cama", disse o príncipe ao presidente da Nigéria em 2003, numa referência às vestes tradicionais do presidente.

"As Filipinas devem estar meio vazias. Vocês estão todas aqui a tomar conta do sistema nacional de saúde", disse o príncipe a enfermeiras filipinas num hospital britânico, em 2003.

"A maioria de vocês não é descendente de piratas?", perguntou o duque a um homem nas Ilhas Caimão, em 1994.

"Como mantêm os nativos longe do álcool tempo suficiente para passarem no teste?", perguntou o duque a um instrutor de condução na Escócia, em 1995.

"Surdas? Se estão perto daquilo não admira que estejam surdas", disse o príncipe Filipe durante uma visita a uma escola de crianças surdas, em 2000. Ao lado, estava uma banda das caraíbas com tambores de aço.

"Podias perder um bocado de peso", disse o príncipe a um rapaz de 13 anos em 2001 que disse que queria ser astronauta.

Em 2002, o duque foi criticado por ter perguntado a indígenas na Austrália se eles ainda atiravam lanças.

"Então quem usa drogas aqui? Ele parece que usa drogas", disse o príncipe, enquanto apontava para um rapaz de 14 anos num centro para jovens em Bangladesh, em 2002.

Siga-nos na sua rede favorita.