A cerimónia fúnebre de príncipe Philip na Capela de São Jorge ficou marcada pelas suas decisões, bem como as restrições da Covid-19, que apenas permitiu que comparecessem 30 pessoas.

As decisões de Philip passaram pela adaptação do Land Rover para um carro funerário, a escolha das músicas e as insígnias que ficaram em exposição durante a cerimónia. Toda a cerimónia teve várias influências militares.

Entre as lágrimas da rainha Isabel II, o Diácono de Windsor falou da lealdade de Philip para com a rainha, à nação britânica e à Commonwealth.

Príncipe Carlos também se mostrou bastante emocionado enquanto seguia o caixão do seu pai, acompanhado por outros membros da família real.

Depois da cerimónia, o caixão de Philip é depositado no Jazigo Real e os corneteiros da Marinha tocam a música “The Last Post”, os trompetistas da Cavalaria tocam “Reveille” e os corneteiros dos Fuzileiros Reais tocam “Action Stations” para assinalar o descanso do Duque.

Siga-nos na sua rede favorita.