A norte-americana Kathryn Mayorga acusou Cristiano Ronaldo de a ter violado em 2009, num quarto de hotel em Las Vegas e o caso está longe de acabar.

Segundo avançou o jornal “Mirror”, Mayorga quer 64 milhões de euros de indemnização que correspondem a 20 milhões por “dores e sofrimentos do passado”, 20 milhões por “dores e sofrimentos futuros”, 20 milhões por “danos punitivos” e finalmente 4 milhões de euros para pagar a advogados.

O futebolista sempre negou as acusações e em 2010 os dois tinham chegado a um acordo de confidencialidade no valor de 324 mil euros. No entanto, há cerca de três anos Mayorga abriu um processo contra Ronaldo declarando que estava “mentalmente incapacitada” e que sofreu de coação quando acordou com os termos.

Agora, a norte-americana e a sua equipa de advogados têm uma lista de mais de 60 pessoas que querem levar a tribunal para testemunhar. Segundo o Mirror, nela estão incluídos Jasmine Lennard, que diz ter namorado com Ronaldo, três agentes da polícia que investigaram a queixa inicial, o presidente da Juventus, Andrea Agnelli, o agente de Ronaldo, Jorge Mendes, e Andy Quinn, um conselheiro.

Siga-nos na sua rede favorita.